11 Outubro, 2017 14:32

Piauí ganhará Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados

A criação da organização foi pauta da reunião entre o governador Wellington Dias e o infectologista, Carlos Henrique Nery

Com o objetivo de fortalecer as políticas públicas de combate a doenças e agravos, será criado no Piauí o Centro de Inteligência em Agravos Tropicais Emergentes e Negligenciados (Ciaten). A criação da organização foi pauta da reunião entre o governador Wellington Dias e o infectologista, Carlos Henrique Nery, que aconteceu nesta quarta-feira (11), no Palácio de Karnak.

"O estado tem registrado muitas ocorrências de doenças que afetam, particularmente, a população mais pobre, tais como tuberculose, lepra, doença de chagas e calazar. Precisamos de políticas mais agressivas de controle a essa doenças negligenciadas e também para os agravos emergentes, como os acidentes de trânsito e violências ligadas ao tráfico, que talvez sejam o nosso maior problema atualmente", atentou Wellington Dias.

Para Carlos Nery, é preciso conhecimento, organização e estratégias capazes de orientar e estabelecer demandas da administração pública no sentido de fazer politicas eficazes. "O governador se entusiasmou com a novidade, mas quer praticidade e já nos cobrou resultados. Já temos muitas coisas projetadas de modo que possamos apresentar em futuro próximo, tais como o controle da leishmaniose, redução da dengue, surgimento de vacinas, tecnologias capazes de diminuir os acidentes de trânsito. Respostas que possam ajudar a população do Piauí", pontuou.

Ainda segundo o infectologista, a criação do Ciaten será um marco na história do Piauí. "Estaremos associados a várias instituições internacionais. Os pesquisadores já tem diversos convênios e colaborações que serão trazidas para o Centro. Também vamos buscar recursos para fomentar pesquisas. Queremos estar bem inseridos entre o conhecimento básico e o aplicado. Nossa meta é iluminar as políticas públicas no estado", destacou. 

Ciaten

O Ciaten será uma organização social, que seguirá os moldes de instituições como o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir). Funcionará no prédio localizado ao lado do Hospital Getúlio Vargas, que sedia o Centro de Ciências da Saúde, da Universidade Federal do Piauí (Ufpi). O prédio está sendo desocupado e sofrerá intervenções arquitetônicas para que, logo depois, possam ser montados laboratórios ligados a diferentes doenças. 

Serão laboratórios para o estudo de insetos, de tomologia, de estatística, central de doenças emergentes, central inteligente de combate aos agravos violentos e efeitos do trauma, dentre outros. O Centro também ofertará curso preparatório de gestores, cursos de qualificação sensu lato e sensu stricto, além de curso de formação culta para os profissionais do estado e dos municípios.

O Ciaten contará com uma equipe formada por 6 ou 7 profisisonais cedidos que dedicarão uma parte do seu tempo de trabalho para formular pesquisas e políticas públicas. O ivestimento para a reforma do prédio e equipamentos será de R$4,5 milhões. Já o custo mensal, que envolve manutenção, compra de insumos, pessoal, eletricidade e segurança, será na ordem de R$80 mil. 
 

Autoria: Lorenna Costa
Tags: