13 Setembro, 2017 16:47

Prevenção de traumas no Piauí será discutida em sessão solene nesta quinta (14)

Um projeto de prevenção ao trauma está sendo elaborado para apresentação ao poder público.

Ascom Ceir
Neuro em Ação na avenida Raul Lopes. (Ascom Ceir)

Pessoas com traumatismos relacionados a acidentes de trânsito e mergulho em águas rasas estão entre a segunda maior causa de tratamento no Centro Integrado de Reabilitação (Ceir). O assunto será pauta de uma sessão solene nesta quinta-feira (14), às 10h, na Assembleia Legislativa.
 
“Estamos elaborando um projeto de prevenção ao trauma, com medidas educativas e punitivas que vão integrar vários segmentos da sociedade, desde o poder público a universidades e instituições”, declara o médico neurocirurgião Benjamim Pessoa Vale, presidente voluntário da Associação Reabilitar, entidade social que administra o Ceir e coordena o Projeto Pense Bem Trauma no Piauí.
 
Para Benjamim, a prevenção de traumas deve ser um assunto discutido em escolas, na sociedade e pelo poder público. “É um trabalho de conscientização e educação, onde cada um deve fazer a sua parte e ser também um multiplicador de boas ideias e condutas”, frisa.
 
Dados  
Durante esta semana, a Associação Reabilitar, a Sociedade Piauiense de Neurocirurgia e ligas acadêmicas de medicina, neurologia e neurocirurgia estão realizando a Neuro em Ação, uma campanha de conscientização que alerta aos riscos do uso de celular ao volante, mergulho em águas rasas e as más posturas corporais, que provocam traumatismos com sequelas irreversíveis.
 
Segundo dados divulgados pela ação, 1,3 milhão de mortes no trânsito ocorrem por ano no mundo, sendo 25% dos acidentes relacionados ao envio de mensagens de texto enquanto se dirige. O ato é considerado seis vezes mais perigoso do que dirigir embriagado.
 
Já a prática de mergulhar em águas desconhecidas e rasas - em rios, barragens, piscinas e no mar - tem provocado fraturas e paralisias, sendo 90% dos acidentados, homens. E as más posturas corporais têm sido a causa mais frequente de afastamento do trabalho, podendo levar à incapacidade e evoluir para dor crônica.
 
A campanha, que está levando palestras a escolas das redes pública e privada da capital e a faculdades e universidades, encerra nesta sexta-feira (15), com palestra, às 18h, no Cine Teatro da Universidade Federal do Piauí (UFPI).

Autoria: Cláudia Alves
Tags: