11 Junho, 2019 14:38

Seduc e Instituto Unibanco integram sistema iSeduc com SGP

Foi realizado, na manhã desta terça-feira (11), na sede da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), um encontro com o grupo de tecnologia da informação da Seduc e Instituto Unibanco. A iniciativa teve como objetivo avaliar a 1ª Etapa da integração entre os sistemas iSeduc e Sistema de Gestão de Projetos (SGP) e refletir sobre a melhoria dos processos para a 2ª etapa.
 
As atividades iniciaram com a avaliação do processo de integração entre março e junho, em seguida falaram sobre os desafios para a continuidade do processo de integração, seguiram analisando a validação da proposta de fluxo de comunicação e monitoramento e finalizaram fazendo uma apresentação do sistema iSeduc e do SGP.
 
De acordo com João Cláudio Peixoto, gestor de Implementação do Instituto Unibanco, a integração do sistema está sendo realizada desde o dia 15 de março e a intenção é que a escola possa ter os dois sistemas integrados e assim facilitar a sua gestão escolar.
 
 
"A partir do momento que a escola tem o sistema integrado, ela passa a ter um trabalho único. Ela faz gestão em um único sistema que é migrado para um outro no momento necessário. Por exemplo, nós temos a Sistemática de Monitoramento e Avaliação dos Resultados (SMAR), onde todos os gestores fazem uma verificação da avaliação dos processos, dos alunos, frequência. O sistema integrado facilita esse processo porque a geração dos gráficos tem mais qualidade, segurança nos dados e a informação mais precisa em tempo real", esclarece João.
 
O gestor de Implementação falou, ainda, que no iSeduc os gestores irão inserir todas as frequências dos alunos, notas, aulas dadas, aulas planejadas e, a partir do SGP, eles irão conseguir inserir atas das reuniões, plano de ação, acompanhamento da gestão escolar. Com dois sistemas integrados, essa gestão vai ser facilitada e vai evitar qualquer tipo de retrabalho.
 
Na 2ª etapa do processo de integração, serão inseridas as aulas previstas e aulas dadas. "Vamos ter agora uma ideia de quantas aulas foram previstas para o semestre e quantas aulas foram dadas. Esse acompanhamento mais de perto faz com que o estado possa combater e enfrentar tanto a baixa aprovação, quanto o abandono e reprovação", finaliza João Cláudio.

Autoria: Michele Furtado