11 Janeiro, 2018 12:24

Defensoria Pública comemora pesquisa e produção do canabidiol no Piauí

A instituição, por meio do Núcleo da Saúde, é a responsável direta pela maioria das ações que garantiram no estado o acesso ao composto.

Lázaro Lemos
Núcleo Central da Defensoria Pública do Estado do Piauí (Lázaro Lemos)

A Defensoria Pública do Estado do Piauí (DPE-PI) comemorou a informação que o Governo do Piauí autorizou a produção do canabidiol, medicamento derivado da Cannabis sativa, no estado. A autorização foi dada pelo governador Wellington Dias no dia 28 de dezembro de 2017.

As Universidades Federal e Estadual, assim como o Centro Integrado de Reabilitação (Ceir), estão à frente das pesquisas relacionadas à produção do composto que é de fundamental importância para muitas pessoas, especialmente crianças, que necessitam dele para melhorar a qualidade de vida ou mesmo para sobreviver.

O uso do composto, assim como de outros derivados da planta cannabis sativa, foi discutido em Teresina, em março de 2017, durante o Simpósio sobre o Uso Medicinal dos Canabinoides, que contou com a participação da Defensoria Pública, na pessoa do defensor público Rogério Newton de Carvalho Sousa, que é o titular do Núcleo Especializado da Saúde da instituição.

A Defensoria Pública, por meio do Núcleo  da Saúde, é a responsável direta pela maioria das ações judiciais que garantiram no Piauí o acesso ao canabidiol, proporcionando melhores condições de saúde aos portadores de enfermidades incapacitantes. “A pesquisa com caráter científico é muito bem-vinda, pois é escassa a investigação científica sobre Canabidiol no meio acadêmico. Faço votos que o Canabidiol seja produzido aqui no estado, com chancela científica. E o mais importante: que a medicação seja fornecida, a baixo preço, para crianças epiléticas ou com microcefalia e adultos que fazem uso de Canabidiol”, diz Rogério Newton.

O Piauí é o primeiro estado do país a autorizar a viabilização do projeto. Um grupo de pesquisadores responsáveis já estuda a substância há algum tempo, mas com a recente autorização para a produção do óleo no estado, foram criados projetos a serem executados pela Uespi e pela UFPI. Além do Ceir, as universidades fabricarão o medicamento em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Piauí (Fapepi) e Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi).

“Foi com enorme satisfação que recebemos a informação sobre a autorização do governador Wellington Dias para a pesquisa e produção do canabidiol no Piauí. Comprovadamente os canabinoides têm sido de extrema importância para o tratamento de doenças consideradas degenerativas. Já era então mais que tempo de desmistificar o uso medicinal desses compostos, desburocratizando o acesso às pessoas que realmente necessitam deles para uma melhor qualidade de vida. Ter a consciência que a maioria das ações judicializadas para garantir o acesso a esses composto no Piauí são de responsabilidade direta da Defensoria Pública muito nos honra, por mostrar que continuamos trilhando o caminho correto para a garantia de direitos aos nossos assistidos”, afirma a defensora pública geral, Hildeth Evangelista.

Autoria: Ângela Ferry
Tags: