23 Novembro, 2017 15:35

Mostra sobre lesões de pele na UESPI debate experiências práticas no tratamento de feridas

O evento reune profissionais de saúde, enfermeiros, médicos, fisioterapeutas e estudantes

A abertura da programação da II Mostra Piauiense sobre Prevenção e Tratamento de Lesões de Pele e do II Concurso de Experiência sobre Tratamento de Feridas realizado nesta quinta (23), reuniu profissionais de saúde, enfermeiros, médicos, fisioterapeutas e estudantes para uma capacitação no Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Estadual do Piauí. O evento estimula a troca de experiências práticas no tratamento de feridas aliadas aos resultados com novas tecnologias.

A ministrante Profa. Rafaela Sales abordou um curso de pesquisas voltadas para o âmbito da saúde no tratamento de feridas “Quatitech em terapia por pressão negativa em feridas complexas” .No minicurso “Tecnologias no cuidado de feridas estagnadas e com biofilme”, o pelo especialista Prof. Paulo Dionísio, problematizou sobre os fatores adversos à cicatrização.
 
Feridas crônicas representam grande preocupação para as pessoas doentes e para o sistema de saúde. “Há pacientes que estão com essas feridas há anos, e isso representa um custo além do sofrimento do paciente”, diz Paulo. O tratamento deve seguir um olhar clínico apurado. ” A limpeza é extremamente importante quando se envolve o processo cicatrizacional, como por exemplo o uso do soro fisiológico, ” alerta Paulo sobre o diagnóstico de cicatrização de feridas.
 
“Esse encontro qualifica os profissionais através da tecnologia e também nos dá um melhoramento nos cuidados com o paciente podendo reduzir o número de infecção e o tempo de internação dele”, relata a participante e profissional de saúde, Zumiral Alves, que trabalha na Clínica Médica do Hospital de Urgência de Teresina (HUT).

Além da Mostra que reuniu 100 trabalhos, o II Concurso piauiense de experiências exitosas na prevenção e tratamento de feridas vai premiar experiências científicas de trabalhos realizados de enfermeiros que já atuam com essas lesões através de tratamentos fitoterápicos. “Os profissionais que atuam nas novas tecnologias, tecnologias alternativas e tratamentos que não são comuns”, falou Lisandra Fernandes, uma das organizadoras e discente do 8° bloco de enfermagem da UESPI.

As 14h será realizado o minicurso: Empreendedorismo e tecnologias no cuidado de enfermagem em domicílio, com Cristina Barbosa, especialista em Dermatologia e Estomaterapia pela Universidade de São Paulo (USP).

Conforme a organização do evento, serão realizadas palestras e mesa-redonda durante toda a programação da sexta (24). Às 18h, ocorre apresentação da I turma de Estomatoerapia do Piauí, em seguida de um coquetel. Além disso, minicursos integram a programação até sábado (25).

Autoria: Vanderson de Paulo
Tags: