14 Junho, 2018 13:31

Gestão colaborativa acompanha avanços nos serviços da Maternidade

Essa metodologia de gestão colaborativa, envolve diretores geral e técnico, além de profissionais de diversas áreas.

James Almeida
(James Almeida)

O secretário de Estado da Saúde, Florentino Neto, juntamente com a gestão colaborativa, vem acompanhando os avanços implementados na Maternidade Dona Evangelina Rosa. Em reunião realizada na quarta-feira (13) e visita feita nesta quinta (14), os participantes apontaram soluções para os gargalos identificados e ainda vistoriaram o Almoxarifado e ainda a Nutrição, setores totalmente abastecidos.

“A parte de insumos, medicamentos e alimentos está totalmente abastecida na Maternidade. Centralizamos a aquisição pela Secretaria, que a posterior será aplicada em todos os hospitais, o que vai possibilitar a diminuição de custos individuais. Assim, mantemos o Almoxarifado Central e o da Maternidade com o processo de abastecimento regular”, garante o secretário, esclarecendo que havendo falta, a mesma é pontual, mas há esforço para que esta seja diminuída ou mesmo anulada.

O diretor geral da Maternidade, Francisco Macedo, explica as dificuldades na aquisição de alguns medicamentos, como morfina. “Pontualmente, pode haver falta desse medicamento. O que fazemos? Mantemos um diálogo permanente com a equipe médica para que nos indiquem a medicação que possa ser substituída, já que não temos laboratório no Estado e dependemos de fornecedores de fora”, declarou. Esse encaminhamento tem tido uma resposta favorável para a substituição de insumos e medicamentos.

Macedo ressalta que a prioridade é a segurança do paciente. “A gestão compartilhada tem reforçado isso também. Nos preocupamos em relação a insumos e medicamentos, é nosso comprometimento. O almoxarifado tem estoque, como pode ser visto. Essa metodologia de trabalho e gestão compartilhada com a Secretaria de Saúde tem proporcionado aquisições para estocar por seis meses e a Maternidade ser suprida a diariamente”, informou.

Essa metodologia de gestão colaborativa, envolvendo diretores geral e técnico, além de profissionais de diversas áreas, deverá ser aplicada nos demais hospitais da rede hospitalar. “A gestão compartilhada objetiva que os profissionais acompanhem de perto, com transparência, as deliberações na Casa. Ontem, em nossa reunião, alguns problemas já foram solucionados, outros encaminhados para ser resolvidos. Ou seja, planejamos e deliberamos juntos na gestão da Maternidade”, afirma Florentino.

As reuniões com o comitê de gestão são realizadas duas vezes por mês e a próxima reunião já tem data marcada: de 27 de junho.

Autoria: Graciene Nazareno